ao léu

Entendi esse platonismo,
dos que marcam bem marcado,
dos que têm me deixado.

Estar em um “nós” errado,
que mesmo belo,
torna-se um fardo.

Ah, como me fere o peito,
essas pessoas passageiras.
As que solto ao léu,
sempre querem voltar,
mas as que queria comigo,
não querem comigo estar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s